A crise está feia? Como driblar a crise e ganhar dinheiro.

Será mesmo que a culpa é só do governo brasileiro?

Como driblar a crise e ganhar dinheiro

Eu não sei outros países, mas em especial o Brasil historicamente sempre viveu altos e baixos. Confisco de dinheiro da poupança, inflação, desemprego, recessão, petróleo, corrupção, tudo parece motivo para fazer nossa economia flutuar de alto a baixo, as vezes parece até voo de galinha. O Brasil é um jovem país ainda, pouco mais de 500 anos, pode ser considerado recém colonizado (talvez mal colonizado) se uma geração vive em média 75 anos, não temos então nem 10 gerações.

Mas será que isso explica então o fato da sua empresa não estar dando certo? Será que a culpa é só de fatores externos ou nós estamos deixando de fazer a nossa parte? A macroeconomia pode sim interferir em nossos negócios, mas muitas vezes o problema está em nós, e é nessa linha de reflexão que eu quero seguir.

Quando as coisas não vão muito bem, logo procuramos os culpados e em geral terceirizamos essa responsabilidade. Vamos imaginar o empresário que precisa vender mais, depois de tentar com todos os sobrinhos que ele tinha disponível, de assistir vários tutoriais para o famoso “do it yourself” ele decide ir em busca de um profissional de marketing, mesmo muitas vezes contrariado por achar caro, e espera que o profissional tire da cartola um coelho mágico que vai mudar a realidade da empresa… Infelizmente a maioria desses casos termina estatisticamente com um cliente insatisfeito.

Antes de investir em marketing digital, anúncio, folder, cartaz, outdoor, placa, panfleto, pombo correio, sinal de fumaça ou qualquer outra coisa, pense um pouco na SUA empresa. Pois uma excelente estratégia do pessoal de marketing pode ser um ótimo negócio para acelerar a sua falência. Recentemente um empreendimento imobiliário nos procurou para fazer uma campanha, só que nós não sabíamos que eles estavam com problemas na documentação dos imóveis à venda, e assim que soltamos as campanhas nas mídias sociais choveram comentários negativos no anúncio, que claro foi um fiasco, o que nossa campanha fez foi maximizar um problema.

Presuma que seu serviço é ruim.
Olhe para sua empresa agora e presuma que ela oferece um serviço ruim, então faça tudo o que você pode para melhorá-lo. A pior cilada que você pode cair é sentir-se superior, não dá para achar que sua peça é a melhor, que o seu produto é o mais inovador, se fosse assim o mercado já teria lhe descoberto e haveria uma fila na sua porta. Em uma análise crítica parta do princípio que você precisa melhorar. Você pode estar em um momento muito bom do seu negócio, mas cuidado, os cenários mudam muito rápido. Em 2011 a audiência do Orkut começou a cair e em 2014 ele já estava fechando as portas.

Livre-se das desculpas!
- Não consigo melhorar o produto ou serviço porque meu cliente quer pagar pouco.
- O cliente sempre liga de última hora e depois ainda reclama que não está bom.
- Os meus funcionários não colaboram, se eles fizessem correto não teríamos problemas.
- O cliente está reclamando mas a culpa é dele que não soube escolher.

Cada desculpa imposta por você ou sua equipe pode se transformar-se em um enorme problema futuro que pode diminuir a demanda por seu produto. Depois não é uma campanha publicitária que irá resolver em 1 mês todos os seus problemas. Reconquistar um cliente custa 10 vezes mais do que para conquistar.

Se coloque no lugar do seu cliente.
- Talvez ele paga pouco porque você oferece um serviço a altura do que ele paga, e se você o surpreendesse? Será que ele não daria mais valor?
- O cliente liga de última hora? E se você criar uma agenda baseado no consumo desse cliente e pró ativamente você ligar perguntando se ele está precisando de algo?
- Os funcionários… Quanto tempo semanalmente você investe no treinamento deles?

Você só vai conseguir estabelecer o que é bom e adequado para seu cliente quando você se colocar no lugar dele.

Resolva as dores do seu cliente.
Se você vende máquina de sorvete, não venda a máquina, mas sim a possibilidade de ele lucrar mais com sua máquina. Não venda o enxaguante bucal, e sim uma boca saudável. Mantenha o foco em oferecer exatamente o produto certo para resolver o problema do seu cliente, eu por exemplo não vendo marketing, mas sim a possibilidade do meu cliente vender mais! Proporcione uma boa experiência ao seu cliente e metade do seu caminho já vai estar trilhado.

Mude o que precisa ser mudado.
É uma loucura fazer a mesma coisa e esperar um resultado diferente, chega ser uma insanidade! A pessoa diz assim, meu restaurante tem pouco movimento, preciso faturar mais… E o seu cardápio já mudou? a abordagem do garçom? o horário de atendimento? os cartões aceitos? O que você fez para mudar a sua realidade? Se você não fez nada, espere como resultado o “nada”. Mude o jogo, as regras do jogo e até os jogadores se for necessário, porque no final das contas é responsabilidade de dar certo é somente sua e querer terceirizar essa culpa para o funcionário, a agência, o cliente ou qualquer outra coisa é uma boa desculpa mas que não lhe tira da inércia.

A maior prova que Deus é justo é que ele deu as mesmas 24 horas para todo mundo, o que você tem feito com as suas?

Saia da zona de conforto e da inércia, faço algo diferente e se responsabilize por tudo o que acontece na sua vida!




DEIXAR UM COMENTÁRIO

Seu endereço de e-mail não será publicado.


Comentário


Nome

Email