Ainda vale a pena fazer e-mail marketing? Será que funciona?

Em 2019 serão 2,9 bilhões de pessoas usando e-mail, isso representa quase um terço da população, desprezar o poder do e-mail marketing é deixar muito dinheiro na mesa.

Fazer E-mail Marketing

Quero antes de mais nada responder essa objeção com outra pergunta. Será mesmo que se não valesse a pena grandes empresas como Apple, Microsoft, B2W, Mercado Livre e tantas outras estariam usando?

O site Statista apontou que em 2019 serão 2,9 bilhões de pessoas usando e-mail, isso representa quase um terço da população, desprezar o poder do e-mail marketing é deixar muito dinheiro na mesa, porém usá-lo de forma errada pode gerar um prejuízo maior do que a de não usar.

A Winning by Design usa o RRR para explicar melhor em como fazer e-mails que funcionam.

O primeiro R é de Relevance (Relevância).
O e-mail marketing que você está mandando para o seu cliente é relevante ou você simplesmente está jogando na caixa dele uma mensagem?
Se você chegar na porta da sua casa agora e tiver vários folhetos de propaganda a chance de você pisar em cima e passar reto é grande, além de te deixar irritado por sujarem a frente da sua casa. Mas se você foi em um restaurante e 3 dias depois recebeu um envelope com seu nome e dentro um folheto agradecendo sua visita, com certeza você vai abrir, olhar, e ainda se sentir satisfeito. A estratégia do folheto foi a mesma, porém com relevâncias diferentes.
No e-mail marketing funciona do mesmo jeito, se a pessoa compra toda semana alface com você, não adianta mandar um e-mail vendendo abacate, pois por mais que os dois sejam verdes, são produtos totalmente distintos, e é exatamente aí que a propaganda por e-mail marketing começa a não funcionar.

O segundo R é de Reward (Recompensa).
Voltando ao exemplo do folheto do restaurante, e se por exemplo houvesse um gancho assim: Gostamos tanto de receber você aqui que gostaríamos que voltasse, por isso, estamos lhe oferecendo um suco de laranja na sua próxima visita. Isso é uma recompensa, o cliente até guardaria o folheto para uma próxima visita.
Então no e-mail marketing é a mesma coisa. Que tal oferecer algo de valor para o seu cliente? Um webinar, uma matéria interessante no blog, um vídeo, uma dica, qualquer coisa que seja um material rico.

O terceiro R é de Request (Solicitação).
Deixe gatilhos, os CTAs (Call to Action) para que seu cliente possa fazer uma determinada ação, deixe bem claro o que o CTA vai fazer, exemplo. Se você mandou uma dica de como cuidar melhor das finanças, que tal um CTA com uma planilha que ele possa baixar? Essa é a chance que você tem de oferecer mais algumas dicas, mais alguns insights. Deixe sempre as portas abertas para um bate papo.

Nos e-mails que fazemos aqui na agência é usual termos taxas de aberturas com uma média de 15%, isso quer dizer que se enviamos para uma base de 10 mil contatos, 1500 pessoas estão vendo nossa marca e consumindo nosso conteúdo.

Use o e-mail de forma inteligente. Vou dar um exemplo de uso errado.
O cliente é um jogador de tênis de final de semana, ele entra na loja virtual de de esportes e compra alguns tubos de bolinhas. Poucos dias depois ele começa a receber os indesejáveis e-mail marketing de todos os assuntos menos do que é relevante pra ele. E-mail oferecendo tubos de bolinhas com descontos (sendo que ele acabou de comprar), oferecendo taco de baseball, chuteiras, ou seja, todas as ofertas são desalinhadas com o perfil do cliente e totalmente irrelevantes, o que acontece é que em pouco tempo ele vai clicar no botão “sair dessa lista”.

Agora no mesmo exemplo porém com uso inteligente do e-mail.
O cliente é o mesmo, um jogador de tênis de final de semana, ele entra na loja virtual de de esportes e compra alguns tubos de bolinhas. O e-commerce trabalha com sua base segmentada, entende o conceito de relacionamento e upsell, então no dia seguinte manda um e-mail com dicas para bater a bolinha no backhand, e depois manda algumas dicas de como colocar mais spin na bola, depois manda um infográfico que mostra qual é o tipo de raquete ideal para cada jogador, porém para ter acesso ao infográfico ele tem que responder uma pergunta que é “quantas vezes por semana você joga tênis?”, e quem sabe em um e-mail futuro manda uma promoção de raquete segmentada só pra quem baixou o infográfico. Porém, por conta desse cliente ter respondido a pergunta sobre a frequência de jogo, a loja já consegue determinar quanto tempo vai durar a bolinha desse cliente e pode deixar então uma automação de marketing pronta para enviar um e-mail daqui 30 dias oferecendo bolinhas novas.

Uau, seria perfeito essa história que te contei né? Então é possível fazer! basta que você tenha as ferramentas corretas para segmentação da sua base e automatização do seu marketing. O e-mail marketing é sim uma estratégia importante basta que você saiba como usá-lo para que ele seja agradável ao seu cliente, trazendo conteúdo e informação.

Se você quiser saber mais sobre esse assunto, faz um contato conosco que podemos te ajudar!


Deixe um comentário

avatar
  Inscrever-se  
Notificação de